Arquivo da categoria: Esportes

Palmeiras arranca empate do Flamengo e continua em 1º

                      PALPalmeiras1×1FlamengoFLA
Márcio Araújo é expulso, time carioca marca com Alan Patrick, mas garoto Jesus deixa tudo igual. Paulistas mantêm ponta da tabela, um ponto a mais que os cariocas.
O mistério de Gabriel Jesus foi desfeito menos de 30 minutos antes da escalação sair. Titular, o garoto apareceu e salvou o Palmeiras. O time paulista tinha um a mais desde os 39 minutos do primeiro tempo – Márcio Araújo foi expulso – e viu um Flamengo heroico sair na frente em bonito gol de Alan Patrick. O garoto de ouro palmeirense deixou tudo igual no fim na Arena, que teve apenas torcida local, e o 1 a 1 manteve os paulistas na ponta do Brasileiro com um ponto de vantagem contra os cariocas. No fim, o resultado foi melhor para o Flamengo, que jogou mais de um tempo com um a menos e sacrificou até o craque Diego desde o fim da primeira etapa.

PRIMEIRO TEMPOO drama da partida começou no duelo Márcio Araújo e Gabriel Jesus. Incubido de segurar os avanços do Palmeiras, o rubro-negro sofreu com o garoto. No espaço de 24 minutos, Márcio fez três faltas. Na primeira, levou amarelo e na terceira, em Moisés, foi expulso de campo. E o Flamengo que começou bem melhor. Chegou ao ataque em lances com Jorge, Arão, Everton e Pará. Por volta dos 20 minutos a partida já estava equilibrada. Jesus, Dudu e Guedes conseguiam escapadas e acuavam o Flamengo. Depois da expulsão, Zé Ricardo tirou Diego e colocou Cuéllar. Jesus pressionou Réver, fez falta, mas o árbitro não marcou. Saiu de frente para Muralha, que salvou o Rubro-Negro.

SEGUNDO TEMPO

Com Barrios no lugar de Gabriel, o Palmeiras foi para cima do Flamengo. O jogo de xadrez continuava. Cada peça fora de sua posição abria espaço. Pará roubou uma bola e perdeu no ataque. Na volta, Dudu achou Jesus no espaço que o lateral do Flamengo deixou. Jesus driblou Réver, mas chutou por cima. O Fla só se defendia e Zé Ricardo tirou Gabriel para colocar Alan Patrick. Não podia ser melhor a entrada do meia. Jorge bateu lateral para Everton, que tabelou com Arão e deixou Alan na cara do gol: 1 a 0 para o Flamengo aos 17 minutos e silêncio na Arena. Os últimos 30 minutos foram de muita pressão palmeirense. Mas ainda restava o talento puro de Jesus. Com a área cercada, ele fintou Pará e chutou sem chance para Muralha: 1 a 1 e a liderança segue verde.

Com 48 pontos, o Palmeiras segue mais uma rodada na liderança. O time enfrenta o Corinthians na casa do adversário, sábado, às 16h, em São Paulo. O Rubro-Negro, com 47 pontos, volta ao Rio e pega a ponte-aérea de novo para enfrentar o Figueirense, domingo, às 11h, no Pacaembu.

Ricardo Costa leva 1º ouro do Brasil na Paralimpíada do Rio

Irmão de Silvânia Costa, campeã mundial da mesma prova, sul-mato-grossense vence
o americano Lex Gillette no último salto e enlouquece torcida no Estádio Olímpico

Pulo no escuro e para história. Ricardo Costa é o primeiro brasileiro a conquistar medalha de ouro nos Jogos Paralímpicos do Rio. Cego por conta da Doença de Stargardt, que causa perda da visão de forma degenerativa, o sul-mato-grossense de Três Lagoas se tornou campeão paralímpico do salto em distância T11 em prova cheia de emoção na manhã desta quinta-feira. Líder na maior parte do tempo, foi ultrapassado pelo americano Lex Gillete no penúltimo salto, mas manteve a frieza para fazer 6.52m na tentativa derradeira e liberar o barulho até então proibido para o torcedor presente no Estádio Olímpico. Ruslan Katyshev, da Ucrânia, ficou com o bronze.

A festa pelo ouro foi uma espécie de alívio para Ricardo e para os torcedores. Ao mesmo tempo em que tentavam incentivar com aplausos e gritos de incentivo, como “eu acredito” após o salto do americano que colocou o ouro em risco, o público precisou aprender a lidar com o silêncio necessário para concentração dos atletas sem visão. Já o novo campeão paralímpico leva para casa mais uma medalha para família Costa, que transformou a escuridão imposta pelo destino em ouro.

Fiz da minha deficiência o meu melhor inimigo, que vai me acompanhar por tempo indeterminado. Não coloquei uma dificuldade. Aceitei e, a partir disso, as coisas vieram ao meu favor

Ricardo Costa, campeão paralímpico

Ricardo é irmão de Silvânia Costa, campeã mundial do salto em distância T11 no Mundial de Doha, no Qatar, em 2015, e que também competirá no Rio de Janeiro, no dia 16, sexta-feira. Ambos perderam a visão em decorrência da Doença de Stargadt, que atua de forma degenerativa. A dificuldade de recursos impediu um tratamento precoce, e ao ser diagnosticado, já com 14 anos, Ricardo já tinha a visão condenada. O esporte, entretanto, mudou sua perspectiva de vida.

– Fiz da minha deficiência o meu melhor inimigo, que vai me acompanhar por tempo indeterminado. Não coloquei uma dificuldade. Aceitei e, a partir disso, as coisas vieram ao meu favor (…) Antes de conhecer o esporte, me via muito isolado. Não saia de casa, mas o esporte me trouxe para vida. Se eu estivesse no mercado de trabalho, talvez não conhecesse tantos países.

Além de Silvânia, o primeiro medalhista de ouro do Brasil no Rio tem outro irmão cego. A sintonia com a caçula, entretanto, é o que o move nas pistas:

– Lá em casa, sou eu e duas mulheres, mas sempre quis ter um irmão. A Silvânia, por ser a caçula, preencheu esse espaço. Somos muito unidos mesmo. Eu comecei primeiro no esporte, a convidei, e sempre nos ajudamos, nos incentivamos.

Liderança folga e muita emoção no fim

Ricardo Costa de Oliveira salto em distância Paralimpíada Rio (Foto: Ricardo Moraes / Reuters)
Descrição da imagem: Ricardo Costa no ar em salto que garantiu a medalha de ouro nos Jogos Paralímpicos (Foto: Ricardo Moraes / Reuters)

Durante a maior parte da manhã, a expectativa no Engenhão era de que Ricardo Costa ganhasse o ouro até com certa facilidade. Com 6.41m logo no segundo salto – tinha queimado o primeiro -, o brasileiro passou entre os oito que teriam seis tentativas com enorme folga na liderança: 21cm a mais que o ucraniano Katyshev – a partir do nono, a competição se encerrava no terceiro pulo. E assim permaneceu a competição até o quinto salto de Lex Gillette.

Com pratas em Atenas 2004, Pequim 2008 e Londres 2012, o americano sequer tinha ultrapassado a casa dos 6m quando voou para 6.44m. Líder! Toda pressão nos ombros de Ricardo. No salto seguinte, o brasileiro melhorou sua marca, fez 6.43m, mas ainda não era suficiente. Faltava um mísero centímetro. E o público apostou no “eu acredito!” que fez sucesso na Olimpíada. De imediato, a organização pediu silêncio.

Ao contrário do que aconteceu na disputa entre Thiago Braz e Renaud Lavillenie, dessa vez não houve vaia ou qualquer ato contra o rival do brasileiro. Gillette teve tranquilidade para saltar e marcar somente 5.93m. Pronto! Ricardo Costa já sabia o que fazer para recuperar o ouro. E fez. Concentrado, ouviu com atenção os chamados do guia e decolou para pousar 6.52m depois. Agora, pode gritar torcida brasileira: é ouro!

Fonte: GloboEsporte

Brasil enfrenta a Colômbia e tenta confirmar bom momento

Em busca de identidade, Brasil repete time pela primeira vez contra Colômbia

No oitavo jogo da equipe no torneio, Tite mantém escalação de sua estreia e dá corpo à ideia do capitão Daniel Alves: recriar a identidade que a Seleção perdeu no tempo

Fique atento para algo inédito na partida desta terça-feira entre Brasil x Colômbia, às 21h45 (horário de Brasília), na Arena da Amazônia, em Manaus, com transmissão ao vivo da TV Globo.

Pela primeira vez nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, a seleção brasileira terá a mesma escalação em duas partidas consecutivas. Não por acaso, as duas primeiras de Tite no comando, o que simboliza a busca pela criação de uma identidade nessa nova etapa.

A manutenção da formação se respalda pela estreia da semana passada, a vitória por 3 a 0 sobre o Equador, em Quito. O desempenho foi muito melhor do que jogadores e comissão técnica esperavam, e Tite quer aproveitar o momento de sintonia. Enquanto os atletas atribuem ao treinador e seus auxiliares a imposição de um estilo de jogo, eles, por sua vez, elogiam a rapidez com que o grupo assimilou as ideias.

Esses conceitos independem de escalação. O “jogo apoiado” que Tite tanto pede, baseado em triangulações, posse de bola, na compactação e participação de todos tanto na armação ofensiva quanto no sistema defensivo, serão foco com quaisquer jogadores em campo.

Mas na situação delicada que a equipe ainda vive na tabela, onde, apesar de estar a dois pontos da Argentina, que lidera a corrida pelo Mundial-2018, se encontra apenas na quinta colocação, manter os jogadores que obtiveram um êxito tão precoce ajuda a fortalecer a criação da identidade dessa nova seleção brasileira.

A Seleção tem um grupo muito promissor, com muita fome de resultado, de recriar uma identidade que sempre teve. E todos estamos hoje muito felizes pelo grupo que temos. Há muito tempo eu não sentia essa sensação que tenho com esse novo grupo, que, apesar da idade e de ter jogadores estreantes, parece que se conhece de toda vida. Estamos lutando para ganhar uma estabilidade, uma identidade para que o torcedor possa se identificar com os jogadores que aqui estão. Esse é nosso maior objetivo – afirmou o lateral-direito Daniel Alves, capitão em Manaus.

Veja abaixo as escalações do Brasil até agora nas eliminatórias, e depois a ficha técnica da partida desta noite:

2015

8/10 – Chile 2×0 Brasil: Jefferson, Daniel Alves, Miranda, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Elias, Oscar, Willian e Douglas Costa; Hulk.

13/10 – Brasil 3×1 Venezuela:Alisson, Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Filipe Luís; Luiz Gustavo, Elias, Oscar, Willian e Douglas Costa; Ricardo Oliveira.

13/11 – Argentina 1×1 Brasil: Alisson, Daniel Alves, Miranda, David Luiz e Filipe Luís; Luiz Gustavo, Elias, Lucas Lima, Willian e Neymar; Ricardo Oliveira.

17/11 – Brasil 3×0 Peru: Alisson, Daniel Alves, Gil, Miranda e Filipe Luís; Luiz Gustavo, Elias eRenato Augusto; Willian, Douglas Costa e Neymar.

2016

25/3 – Brasil 2×2 Uruguai: Alisson, Daniel Alves, Miranda, David Luiz e Filipe Luís; Luiz Gustavo, Fernandinho e Renato Augusto; Willian, Douglas Costa e Neymar.

29/3 – Paraguai 2×2 Brasil: Alisson, Daniel Alves, Gil, Miranda e Filipe Luís; Luiz Gustavo, Fernandinho e Renato Augusto; Willian, Douglas Costa e Ricardo Oliveira.

1/9 – Equador 0x3 Brasil: Alisson, Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Marcelo; Casemiro;Paulinho, Renato Augusto, Willian e Neymar; Gabriel Jesus.

FICHA TÉCNICA

BRASIL: Alisson, Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Marcelo; Casemiro; Paulinho, Renato Augusto, Willian e Neymar; Gabriel Jesus. Técnico: Tite

COLÔMBIA: Ospina, Árias, Óscar Murillo, Jeison Murillo e Díaz; Sánchez, Pérez, Celis, Cuadrado e James Rodríguez; Bacca. Técnico: José Pekerman

Data: 6/9/2016 Horário: 21h45 (de Brasília) Local: Arena da Amazônia, em Manaus-AM Árbitro:Patricio Lousteau (ARG) Auxiliares: Iván Nuñez e Gustavo Rossi (ARG) Transmissão: TV Globo, SporTV e GloboEsporte.com. O site abre sua transmissão às 20h, e também acompanha em Tempo Real.

Fonte: GloboEsporte

Paralimpíada alcança marca de 1,5 milhão de ingressos vendidos

Às vésperas da cerimônia de abertura, Comitê Organizador acredita que todos os bilhetes serão comercializados. Ainda há cerca de 1 milhão de entradas disponíveis

A venda de ingressos para a Paralimpíada do Rio de Janeiro segue em ritmo acelerado às vésperas da cerimônia de abertura desta quarta-feira. O Comitê Organizador dos Jogos anunciou que ao fim do domingo foi atingida a marca de 1,5 milhão de bilhetes comercializados. Muitas finais já estão esgotadas, mas ainda há cerca de 1 milhão de entradas disponíveis. O Comitê acredita que todos os ingressos serão vendidos até o fim da Paralimpíada.
– Houve uma mudança importante no padrão de vendas. Primeiro vimos uma energia muito grande vinda dos Jogos Olímpicos e pessoas que simplesmente queriam estar no Parque Olímpico da Barra. Agora, vemos torcedores que estão buscando por atletas e partidas específicos. Ver que o esporte se tornou a principal razão pela qual os ingressos são comprados é muito animador – disse Mario Andrada, diretor executivo do Rio 2016.

Apesar do grande número de ingressos vendidos, ainda há muitas opções de bilhetes para sessões com presença de brasileiros brigando por medalhas, principalmente nos dois primeiros dias, com Daniel Dias (natação), Terezinha Guilhermina (atletismo), Alan Fonteles (atletismo), André Brasil (natação) e Lúcia Teixeira (judô). Os esportes mais procurados pelo público são natação, atletismo, basquete em cadeira de rodas, futebol de 5 e vôlei sentado. Ciclismo de pista, futebol de 5 e triatlo tiveram sua carga inicial vendida. Serão 23 esportes em competição, incluindo 2 estreias: canoagem e triatlo.

O torcedor que deseja assistir à Paralimpíada pode adquirir seus tickets pelo site oficial da Rio 2016 ou nas bilheterias espalhadas pelas cidade. Os preços variam entre R$ 10 e R$ 1.200 (cerimônia de abertura). Provas de fim de semana têm mais saída do que as de meio de semana, mas o preço acessível também tem sido fator de atração.

As entradas mais baratas podem ser compradas pela metade do valor pelos estudantes e professores da rede municipal do Rio de Janeiro. Pessoas acima de 60 anos e com qualquer deficiência (PCD) terão direito ao desconto em todas as categorias.

Na edição de Londres 2012, a delegação brasileira terminou na sétima posição no quadro de medalhas, com 21 de ouro, 14 de prata e oito de bronze. O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) espera subir no Rio com o maior número de atletas da história (279), o objetivo é entrar no top 5 no quadro de medalhas.

PARA COMPRAR INGRESSOS

Como comprar:
– É preciso ser maior de 18 anos e ter seu número de CPF (Cadastro de Pessoas Físicas);
– Ter um cadastro no site www.rio2016.com/ingressos.
– O torcedor poderá escolher até seis sessões, selecionando de 12 a 18 ingressos;

Formas de pagamento:
– Em até 3x no cartão de crédito Visa (somente pelo site);

Meia–entrada:
– Pessoas acima de 60 anos e com qualquer deficiência (PCD) terão direito ao desconto em todas as categorias;
– Estudantes (em geral) e professores da rede municipal do Rio de Janeiro terão direito à meia-entrada na categoria de preços mais barata em todas as sessões;

Bilheterias:
https://ingressos.rio2016.com/bilheteria

PARA RETIRAR INGRESSOS

– Apresentar o comprovante: cartão Visa utilizado na compra ou, se o torcedor utilizou a Solução de Pagamento Virtual Rio 2016, a imagem recebida por e-mail com os dados do cartão virtual mais identificação com foto;
– E-mail de confirmação contendo número do pedido e número do cliente;

Condições da entrega para terceiros:
Para que uma pessoa diferente do comprador retire os ingressos na bilheteria, é necessária uma procuração autenticada em nome da pessoa que irá retirar os ingressos, além dos documentos abaixo:

– Cópia do RG do comprador dos ingressos
– Documento original com foto de quem for retirar os ingressos
– Procuração original assinada e autenticada pelo comprador
– E-mail de confirmação contendo número do pedido e número do cliente
– Cartão utilizado na compra

Hamilton erra na largada, Rosberg vence na Itália e embola briga pelo título. Massa termina apenas em 9º

Com a Fórmula 1 dominada por dois pilotos que possuem carros praticamente idênticos, qualquer erro de um deles pode significar a vitória do outro. Foi o que Lewis Hamilton viveu neste domingo (4), no GP da Itália. Ao falhar na largada e cair da pole para a sexta colocação, o inglês praticamente entregou a vitória para seu colega e principal rival, Nico Rosberg. O alemão aproveitou, liderou de ponta a ponta e embolou a disputa pelo título da temporada.

Depois de abrir 43 pontos de vantagem e ver Hamilton tomar-lhe a ponta da classificação do Mundial de Pilotos, Rosberg agora volta de vez à briga pelo título. Com o triunfo deste domingo, o alemão chegou a 248 pontos, somente dois atrás do inglês, que lidera a tabela.

A vitória de Rosberg não foi ameaçada em nenhum momento. Ele completou as 53 voltas do tradicional Circuito de Monza em 1h17min28s089, pouco mais de 15 segundos à frente de Hamilton, que precisou fazer uma prova de recuperação para terminar ao menos na segunda colocação.

Fora desta briga particular da Mercedes em que se transformou o campeonato, a Ferrari foi quem apareceu melhor neste domingo, para alegria dos fanáticos torcedores italianos. Sebastian Vettel terminou na terceira colocação e completou o pódio. Pouco atrás, apareceu o outro piloto da equipe, Kimi Raikkonen, em quarto.

Na semana em que anunciou o adeus à Fórmula 1 no fim do ano, Felipe Massa pôde comemorar o fato de ter terminado a prova na zona de pontuação. Depois de largar em 11.º, o brasileiro da Williams chegou em nono. Bem diferente de Felipe Nasr. O piloto da Sauber largou em 18.º, se envolveu em um choque com Jolyon Palmer e abandonou nas primeiras voltas.

Com 14 etapas já disputadas e com a briga particular dos pilotos da Mercedes mais quente do que nunca, a Fórmula 1 agora vai para Cingapura, onde acontecerá a próxima prova, no dia 18 de setembro.

A PROVA – As emoções do GP da Itália ficaram todas no início da corrida deste domingo. Depois de fazer uma volta perfeita no sábado e conquistar a pole com quase meio segundo de vantagem para Rosberg, Hamilton era o grande favorito. Só que ninguém poderia esperar por uma largada tão ruim do inglês.

Inexplicavelmente após o sinal verde aparecer, Hamilton foi extremamente lento. A ótima largada de Sebastian Vettel, que o ultrapassou com facilidade, pareceu também atrapalhar. Com isso, o inglês foi ficando para trás. Foi passado também por Rosberg, Raikkonen, Daniel Ricciardo e Valtteri Bottas, caindo para sexto.

A liderança ficou com Rosberg, que não mais a perderia. Bem mais atrás, o brasileiro Felipe Massa também conseguiu uma boa largada e saltou de 11.º para oitavo depois de bela ultrapassagem sobre Fernando Alonso.

Só que a superioridade do carro da Mercedes fez com que a sexta posição de Hamilton fosse apenas temporária. Já na segunda volta, o piloto ultrapassou Ricciardo. Pouco depois, foi a vez de Bottas ficar para trás. As paradas nos boxes dos principais concorrentes levaram o inglês à segunda posição.

Também na segunda volta, chegou ao fim a corrida de Felipe Nasr. Ele se envolveu em um toque com Palmer, que furou seu pneu e o tirou da pista.

Lá na frente, não bastasse a evidente superioridade de seus carros, a Mercedes também acertou na estratégia. Ao contrário das concorrentes, a equipe colocou pneus médios nos carros de seus pilotos e, com isso, realizou somente um pit stop. A decisão fez, mais uma vez, com que Rosberg e Hamilton disputassem uma corrida particular, a muitos segundos de distância dos rivais.

Só que o erro no início da prova impediu que Hamilton sequer ameaçasse a vitória de Rosberg. Com isso, a metade final da corrida serviu apenas para confirmar o triunfo do alemão. De emoção nas voltas finais, somente a bela ultrapassagem de Ricciardo sobre Bottas a cinco voltas para o fim, conquistando a quinta colocação.

Confira a classificação final do GP da Itália:

1º – Nico Rosberg (ALE/Mercedes), em 1h17min28s089

2º – Lewis Hamilton (ING/Mercedes), a 15s070

3º – Sebastian Vettel (ALE/Ferrari), a 20s990
4º – Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), a 27s561

5º – Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull), a 45.295

6º – Valtteri Bottas (FIN/Williams), a 51s015

7º – Max Verstappen (HOL/Red Bull), a 54s236

8º – Sergio Pérez (MEX/Force India), a 1min04s954

9º – Felipe Massa (BRA/Williams), a 1min05s617

10º – Nico Hülkenberg (ALE/Force India), a 1min18s656

11º – Romain Grosjean (FRA/Haas), a 1 volta

12º – Jenson Button (ING/McLaren), a 1 volta

13º – Fernando Alonso (ESP/McLaren), a 1 volta

14º – Esteban Gutiérrez (MEX/Haas), a 1 volta

15º – Carlos Sainz Jr. (ESP/Toro Rosso), a 1 volta

16º – Marcus Ericsson (SUE/Sauber), a 1 volta

17º – Kevin Magnussen (DIN/Renault), a 1 volta

18º – Esteban Ocon (FRA/Manor), a 2 voltas

Não terminaram a prova:

Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso)

Jolyon Palmer (ING/Renault)

Pascal Wehrlein (ALE/Manor)

Felipe Nasr (BRA/Sauber)

Felipe Massa anuncia aposentadoria da Fórmula 1 ao fim desta temporada

Em coletiva em Monza, brasileiro marca despedida para dia 27 de novembro em Abu Dhabi. Em 14 temporadas, ele tem 242 corridas, 11 vitórias, 41 pódios e o vice de 2008

Foram 15 anos de Fórmula 1, sendo 14 deles como titular. A trajetória de Felipe Massa na principal categoria do automobilismo mundial foi escrita com vitórias marcantes, derrotas doídas, um gravíssimo acidente e o gostinho, mesmo que por alguns segundos, de ser campeão – naquela histórica decisão em Interlagos 2008, cujo título ficou com Lewis Hamilton. E a história do brasileiro de 35 anos na F1 tem data marcada para o capítulo final: será no dia 27 de novembro, no GP de Abu Dhabi. Com contrato se encerrando com a Williams ao fim da temporada e sem perspectivas de uma equipe competitiva para ano que vem, Massa anunciou que não continuará na categoria em 2017. O anúncio foi feito nesta quinta-feira em uma coletiva de imprensa no Autódromo de Monza, que neste fim de semana recebe o GP da Itália. Na primeira fila, a presença do pai Titônio, da esposa Rafaella e do filho Felipinho já denunciava que um anúncio importante seria feito.
– Estou mais nervoso do que em todas as minhas largadas! Depois de 27 anos competindo, desde quando comecei no kart, e após 15 anos na Fórmula 1, esta será a minha última temporada. Serão minhas últimas oito corridas na F1 e eu as curtirei o máximo possível. Muito obrigado a todos que estiveram ao meu redor e que acompanharam minha carreira. Estou orgulhoso de minha carreira, mesmo tendo perdido um campeonato por um ponto – disse.

Felipe Massa tem 242 GPs na Fórmula 1. Agora começa a contagem regressiva. Serão oito corridas até o fim da temporada, totalizando 250 na carreira. Dos 30 brasileiros que passaram pela categoria, ele é um dos seis que conquistou vitórias: 11 no total, o que o coloca como o quarto do país com mais triunfos, empatado com Rubens Barrichello, e atrás apenas de Ayrton Senna (41), Nelson Piquet (23) e Emerson Fittipaldi (14), à frente de José Carlos Pace (1). Duas das vitórias foram no Brasil, repetindo Senna, Piquet e Emerson. São também 16 pole positions, 15 melhores voltas e 41 pódios. Apesar de sair da F1, Massa não deve deixar as pistas. O veterano não definiu ainda uma categoria específica, mas deixou claro o desejo de seguir competindo.
– Tenho 35 anos e estou me aposentando! Não me sinto tão velho para me aposentar, mas esporte é isso! Eu amo correr. Terei tempo para seguir correndo. Talvez em outro campeonato… Fazer o que gosto – explicou.

O brasileiro fez o anúncio ao lado de Claire Williams, chefe da equipe inglesa pelo pai Frank Williams. Ele chegou ao time em 2014. No ano anterior, a tradicional escuderia havia enfrentado a pior temporada de sua história. A aposta no brasileiro se mostrou acertada. Lançando mão de sua experiência, Massa ajudou a equipe a voltar a ser grande na F1 e a Williams foi terceira nos Mundiais de Construtores nas duas últimas temporadas.
– Fico feliz de ter feito parte desta equipe. A Williams teve um momento difícil e juntos fomos capazes de conseguir fantásticos resultados nas duas últimas temporadas – lembra o piloto.

Massa explicou porque escolheu anunciar seu futuro na Itália, país que o acolheu por muitos anos, durante passagem dele pela Ferrari, escuderia onde é querido até hoje. Foi em homenagem a Michael Schumacher, com quem fez dupla em 2006. Naquele ano, também em setembro, o heptacampeão anunciou sua primeira aposentadoria da F1, fato que abriu caminho para o brasileiro crescer na equipe.
– Eu escolhi este lugar porque dez anos atrás Michael anunciou sua aposentadoria. O único jeito de eu continuar na equipe era ele parar. Ele escolheu isso e me deu a oportunidade de ficar – lembra.

Massa estreou na F1 em 2002. Campeão da F-Renault europeia e italiana em 2000 e da F3000 europeia em 2001, o brasileiro chamou a atenção da Ferrari, que assinou contrato com ele e o colocou na Sauber. Em seu ano de estreia pelo time suíço, Massa acabou contrariando o chefão Peter Sauber ao se recusar a dar posição ao companheiro Nick Heidfeld em uma corrida, perdendo lugar na equipe na temporada seguinte. Com isso, teve que passar o ano de 2003 apenas como piloto de testes da Ferrari. Mais maduro, foi emprestado novamente a Sauber em 2004 e 2005.

Em 2006, enfim ingressou na escuderia do cavalinho rampante como titular, no lugar de Rubens Barrichello. Naquele ano, foi companheiro de Michael Schumacher, com quem criou uma relação fraternal – o alemão o chamava de “irmão mais novo”, e venceu as primeiras corridas na F1. Com a primeira aposentadoria do heptacampeão no fim daquela temporada, passou a dividir a atenção da equipe com Kimi Raikkonen. Em 2007, chegou a disputar o título durante boa parte do ano e ajudou o finlandês a ficar com a taça.

Em 2008, teve seu auge. Superou Kimi com facilidade e disputou o título ponto a ponto com Hamilton. Após alternar vitórias e infortúnios, protagonizou uma das decisões de título mais emocionantes da história em Interlagos. Massa cruzou a linha de chegada como campeão, mas perdeu o título quando Hamilton superou Timo Glock na última curva da corrida. Em 2009, sofreu o acidente mais grave da carreira ao ser atingido por uma mola que se desprendeu do carro de Rubens Barrichello. Voltou às pistas em 2010, onde encarou a forte concorrência interna de Fernando Alonso até 2013 e enfrentou dificuldades para se sobressair. Em 2014, se mudou para a Williams. A ida para a equipe inglesa revigorou a carreira de Massa. No time inglês, o brasileiro voltou a ter boas atuações. Diante da soberania da Mercedes, não voltou a vencer corridas, mas subiu ao pódio mais cinco vezes e ainda conquistou uma surpreendente pole na Áustria, em 2014.

 

Corinthians busca empate com o Fluminense e leva vantagem mínima para jogo de volta

COPA DO BRASIL OITAVAS DE FINAL

            Fluminense1×1Corinthians

Marquinho abre o placar em falha do goleiro Cássio no primeiro tempo, mas Rodriguinho iguala na segunda etapa. Timão joga por igualdade sem gols para avançar; Flu precisa vencer ou empatar por dois ou mais gols

Com o regulamento nas mãos, o Corinthians conseguiu um importante resultado na luta por uma vaga nas quartas da Copa do Brasil. Depois de o Fluminense ficar em vantagem após uma falha do goleiro Cássio no primeiro tempo, o Timão reagiu na etapa final e buscou o empate por 1 a 1, nesta quarta-feira, em Mesquita, pelo primeiro jogo das oitavas de final. Marquinho marcou para o Tricolor carioca, enquanto Rodriguinho igualou o placar.

O gol marcado fora de casa favorece o Corinthians para o segundo confronto, dia 21 de setembro, em Itaquera. O Timão joga por um empate sem gols para avançar às quartas de final. Caso o placar do primeiro jogo se repita, a decisão vai para os pênaltis. Uma igualdade por dois ou mais gols (3 a 3, por exemplo) dá a vaga ao Fluminense. Quem vencer se classifica.

Fluminense e Corinthians fizeram um primeiro tempo sonolento e de pouca criação ofensiva. O Tricolor carioca foi um pouco melhor, suficiente para obter a vantagem no placar, aos 36 minutos. Cássio ajudou. O goleiro saiu errado para tentar cortar um cruzamento e ofereceu a bola para Marquinho apenas empurrar às redes. Os jogadores pediram falta, mas nada aconteceu. O Timão não mostrou força para reagir. Muito lenta, a equipe de Cristóvão Borges errou muitos passes e nada produziu.

A entrada de Lucca na vaga de Guilherme no intervalo fez o Corinthians acordar. A chuva apertou, o Timão assumiu o controle da partida e quase empatou. Lucca cobrou falta que passou rente a trave direita de Diego Cavalieri. A igualdade aconteceu aos 18 minutos depois que Léo Príncipe deu ótimo passe para Rodriguinho aparecer livre e bater sem chances de defesa. No fim, Wellington por pouco não fez o segundo em nova falha de Cássio. Lucca também teve uma oportunidade, mas foi fominha no contra-ataque.

Um erro de Cássio no primeiro tempo foi decisivo para o Fluminense abrir o placar. O goleiro se atrapalhou ao sair para interceptar um levantamento de Gustavo Scarpa para a área e deixou o gol vazio para Marquinho marcar. O jogador corintiano reclamou de uma falta de Gum, mas o árbitro Elmo Alves Resende Cunha (GO) acertadamente mandou a partida seguir. Na saída de campo, Cássio disse que a não marcação pode ter sido uma “troca” por outros juízes não o terem expulsado em lances polêmicos contra Figueirense e Cruzeiro.

Depois de errar no gol do Fluminense, Cássio cometeu um deslize perigoso no segundo tempo. O goleiro ficou 15 segundos com a bola nas mãos dentro da área, sendo que a regra permite apenas seis. O árbitro marcou tiro livre indireto. Por sorte do Corinthians, o Fluminense não aproveitou a cobrança.

Palmeiras vence bem o Botafogo-PB e dá enorme passo para a classificação

COPA DO BRASIL OITAVAS DE FINAL

Palmeiras3×0Botafogo-PB

Com gols de Jean, Rafael Marques e Tchê Tchê, Verdão supera o time paraibano e fica bem perto das quartas de final da Copa do Brasil

Atual campeão da Copa do Brasil, o Palmeiras iniciou em grande estilo a caminhada em busca do tetracampeonato do torneio. Na noite desta quarta-feira, em sua arena, o Verdão bateu o Botafogo-PB por 3 a 0, pela partida de ida das oitavas de final, e deu enorme passo rumo à próxima fase. Jean, Rafael Marques e Tchê Tchê foram os autores dos gols do time paulista, líder na Série A. A missão do time paraibano, bem na Série C, é muito complicada.

O primeiro tempo foi feio, com muitos chutões e bolas divididas. Machucado, Moisés saiu aos 24 minutos, substituído por Gabriel. A partir daí, as chances de gol começaram a aparecer, e mais pelo lado do Botafogo. A melhor foi aos 31, quando Rodrigo Silva pegou sobra, livre, mas finalizou para fora. Lento, o Palmeiras era vítima fácil da marcação. Chegou com mais perigo somente aos 42, quando Dudu fez jogada individual e bateu de fora da área para defesa de Michel Alves.

No intervalo, Cuca colocou Allione no lugar de Cleiton Xavier, e o segundo tempo começou mais aberto, com o Verdão mais à frente. Aos 10, Jefferson Recife atingiu Rafael Marques fora da área, mas o juiz marcou pênalti após orientação errada do bandeira; Jean fez 1 a 0. Com a marcação mais afrouxada, Erik perdeu um gol incrível aos 16, e Rafael Marques fez 2 a 0 no minuto seguinte. Itamar Schulle só mexeu depois disso, avançando o time. Não deu certo… Aos 35, Tchê Tchê fez 3 a 0 com um golaço.

Palmeiras e Botafogo-PB voltam a se enfrentar no dia 21 de setembro, em João Pessoa. Na partida de volta das oitavas de final, o Verdão pode perder por dois gols de diferença para avançar às quartas de final ou até por três gols, desde que balance a rede (4 a 1, 5 a 2 e assim por diante). O time da Paraíba precisa vencer por quatro gols de diferença ou devolver os 3 a 0 para decidir nos pênaltis.

Arouca é flagrado em exame antidoping e desfalca Palmeiras

O volante Arouca foi flagrado em exame antidoping. Ainda não foram divulgados a substância proibida utilizada e a partida em que o volante foi submetido ao exame. O Palmeiras ainda não se pronunciou oficialmente, mas convocou uma entrevista coletiva com os médicos do Palmeiras, Rubens Sampaio e Vinicius Martins, para esta quarta-feira.

É o segundo caso de doping do Palmeiras na temporada. O atacante Alecsandro recebeu suspensão de dois anos do Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP) e continua à espera da data do julgamento do recurso. O atacante foi flagrado em exame durante o Campeonato Paulista.

Arouca não foi relacionado para a partida desta quarta-feira, contra o Botafogo (PB) na estreia do Palmeiras na Copa do Brasil, nas oitavas de final. Com o técnico Cuca, o ex-santista não tem tido muitas oportunidades. No último domingo, diante do Fluminense, Arouca foi o substituto de Gabriel e recebeu um cartão amarelo.

Campeão em 2015, Palmeiras estreia nesta quarta-feira (31) na Copa do Brasil

Líder absoluto do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras muda o foco e inicia a luta pela manutenção do título da Copa do Brasil. Campeão no ano passado diante do Santos, o Alviverde estreia nesta quarta-feira (31), contra o Botafogo-PB, às 19:30, no estádio Allianz Parque.

Principal estrela do time, o atacante Gabriel Jesus será o grande desfalque Alviverde, uma vez que foi convocado pelo técnico Tite para disputa das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 – a seleção brasileira enfrenta Equador na quinta-feira (1º) e Colômbia na terça-feira (6). Além disso, o técnico Cuca deve poupar alguns jogadores, devido à grande maratona de jogos que a equipe vem tendo.

O Botafogo-PB, por sua vez, briga por uma vaga nas quartas de final na Série C do Campeonato Brasileiro. Na terceira colocação do grupo A, o time paraibano vem de derrota em casa para o América de Natal. Mesmo assim, quer se espelhar na vitória do Juventude sobre o São Paulo na semana passada, em pleno Morumbi, para surpreender o Palmeiras no Allianz.

As duas equipes se enfrentam na noite desta quarta-feira (31) às 19h30, no estádio do Allianz Parque. Jogo de volta acontece somente no dia 21.